Arquétipos: o que são e como podem ajudar a sua estratégia de Marketing Digital? Blog

Arquétipos: o que são e como podem ajudar a sua estratégia de Marketing Digital?
24
Mai

Arquétipos: o que são e como podem ajudar a sua estratégia de Marketing Digital?

Arquétipos são conjuntos de padrões que demarcam traços de personalidade como valores, visões de mundo e crenças das pessoas. Todos seguimos certos valores e crenças por que acreditamos neles, e alguns desses elementos são semelhantes.

 

É sobre isso que vamos falar nesse blog e como tudo isso tem a ver com o Marketing Digital.

 

Nessa matéria, você vai ler:

  • O que é arquétipo?
  • Quem desenvolveu a teoria dos arquétipos?
  • Quais são os 12 tipos de arquétipos?
  • Como usar Arquétipos no Marketing Digital?

 

O que é arquétipo?

Arquétipo, como falamos, é um conjunto de padrões que traçam características de personalidade. Essa palavra vem do grego, a partir de archein (“original”) e typos (“padrão, tipo”). Ou seja, um padrão original que entendemos como responsável por moldar pessoas e conceitos de forma geral.

 

Pare e pense: você já se identificou com pessoas que tem motivações parecidas com a sua, correto? Pois é justamente sobre isso que a teoria dos arquétipos fala! Todos nós temos semelhanças e, naturalmente, nos relacionamos com quem criamos conexões reais a partir dessas afinidades.

 

Quem desenvolveu a teoria dos arquétipos?

O psicoterapeuta e psiquiatra suíço Carl Jung, fundador da psicologia analítica, criou e desenvolveu a teoria dos Arquétipos, a partir do conceito de Inconsciente Coletivo. Vamos entender melhor o que é isso antes de aprofundarmos os Arquétipos.

 

O Inconsciente Coletivo

De acordo com a teoria de Jung, o Inconsciente Coletivo é o conjunto de crenças inconscientes que todos os humanos têm de forma hereditária, ou seja, passadas de geração para geração pela genética e pelo aprendizado, seja por meio dos nossos pais ou da escola.

Essas crenças comuns em todos geram essas conexões e relacionamentos, e é justamente nessa parte que vai entrar no Marketing como veremos mais adiante.

 

Os Arquétipos de Jung

Agora, entrando na teoria de Jung sobre os arquétipos, sua tese defende que os arquétipos representavam as principais motivações básicas do ser humano, como as crenças e os valores. A partir dessa padronização de características comuns, Jung dividiu em 12 tipos de arquétipos principais.

Segundo Jung, esses 12 tipos de arquétipos são fundamentais para a experiência evolutiva de cada ser humano, porque estão relacionados às nossas emoções e como nos conectamos enquanto indivíduos semelhantes.

 

Quais são os 12 tipos de arquétipos?

Os arquétipos são divididos entre Sábio, Inocente, Explorador, Rebelde, Mago, Herói, Pessoa Comum, Bobo da Corte, Amante, Cuidador, Criador e Governante. Por serem muitos, Jung criou uma roda que facilita a compreensão desses arquétipos que divide os 12 em 4 categorias:

  1. Arquétipos de independência e realização;
  2. Arquétipos de risco e excelência;
  3. Arquétipos de comunidade e prazer;
  4. Arquétipos de estabilidade e controle.

Agora, vamos por partes para entender cada um que se encaixa nessa roda!

 

Os Arquétipos de Independência e Realização

O Sábio se baseia no estudo e conhecimento é o tipo de personalidade que gosta de estar informado. Exemplos de personalidades desse arquétipo são aquelas que gostam de palestras, cursos e priorizam o conhecimento.

O Inocente tem os princípios da pureza e da simplicidade, ou seja, ele busca o que gera o bem-estar de todos, que incentiva o autocuidado e a autenticidade.

O Explorador quer ser livre e descobrir tudo que é novo para ele no mundo. Pode se dizer que o Explorador prioriza sair da rotina e viajar o mundo, conhecer seus lugares, culturas e ideias.

 

Os Arquétipos de Risco e Excelência

O Rebelde é um arquétipo que vai na contramão do convencional. Ele quer sair da zona de conforto em todos os âmbitos do seu cotidiano, é um arquétipo que se encaixa com pessoas inovadoras.

O Mago gosta de criar do zero, ele tem tudo a ver com poder e criação, fazer o inesperado, surgir e surpreender a todos com o que ele é capaz de fazer.

O Herói é dedicado, sua força de vontade supera o talento em todas as esferas e sempre incentiva todos ao seu redor a buscarem a superação.

 

Os Arquétipos de Comunidade e Prazer

A Pessoa Comum baseia-se na acessibilidade e praticidade. É o tipo de personalidade que descomplica a vida e busca soluções fáceis para qualquer problema.

O Bobo da Corte é o arquétipo mais divertido de todos, sua vida é o lazer, fazer todos ao seu redor estarem felizes e se sentirem acolhidos ou inclusos nas suas ações.

O Amante se baseia no intimismo e no prazer individual, por isso, quem se identifica com esse arquétipo gosta de receber e dar uma experiência personalizada, ou seja, quem recebe, está ganhando algo único, pensado nela.

 

Arquétipos de estabilidade e controle

O Cuidador prioriza, diferente do Arquétipo do Inocente, o bem-estar através da saúde, ou seja, o cuidado mais voltado para integridade no corpo como um todo. É um Arquétipo muito humanizado e com foco nas pessoas ao seu redor.

O Criador é um Arquétipo que prefere a inovação e as mudanças, quer mudar a vida das pessoas através da sua criatividade.

O Governante baseia-se na ordem e na liderança, é um Arquétipo que é focado na organização, lógica e também envolve o status e poder de influência.

 

Bom, agora que você conhece os 12 Arquétipos, vamos entender porque eles podem beneficiar o Marketing Digital do seu negócio.

 

Como usar Arquétipos no Marketing Digital?

Como você pode conferir, os 12 Arquétipos abrangem muitos tipos de personalidades, desse modo, utilizamos no Marketing Digital para compreender o consumidor, posicionar a comunicação da sua marca e criar conexões genuínas com o público-alvo. O resultado: geramos mais vendas.

 

Os Arquétipos, por mais que Carl Jung tenha criado eles pensando na psicologia e nas pessoas, podem ser utilizados também para definir a personalidade de empresas. Ou seja, quando estabelecemos um arquétipo de acordo com os valores da empresa, podemos estruturar a estratégia de Marketing Digital com mais assertividade para que o público-alvo se identifique mais com o seu produto ou serviço.

 

Afinal, queremos que quem compre do nosso negócio, torne-se um cliente fiel. Por isso, o Arquétipo pode ser usado na criação da persona e dos gatilhos mentais que podemos usar no conteúdo atrativo, assim, criando uma conexão verdadeira entre os leads e o seu negócio, gerando a conversão em venda.

 

Além disso, devemos ressaltar a importância do Arquétipo nas estratégias de Marketing Digital porque as tendências de consumo, hoje, apontam que potenciais clientes não buscam só comprar um produto ou serviço, e sim consumir a experiência de uma marca. Por isso, quando há essa identificação indireta a partir dos arquétipos, seu cliente não só compra, como incentiva quem está ao seu redor a consumir também.

 

Gostou do conteúdo? Quer saber mais sobre como podemos construir uma estratégia de Marketing Digital com mais conversão em vendas para o seu negócio? Entre em contato conosco!

 

Para mais conteúdos incríveis e novidades sobre Marketing Digital, siga-nos nas redes sociais, estamos no Facebook e no Instagram.